ENEM sua escola em 1º Lugar?

ENEM sua escola em 1º Lugar?

12/08/2018 0 Por Alexandre Emerson

Ranking do ENEM, MITO? ou REALIDADE?

Não posso deixar de compartilhar com vocês o quanto é frustrante ver a briga de algumas escolas em justificar seu 1º LUGAR, ou uma boa posição na lista do INEP. Com seu futuro incerto, o ENEM/INEP divulgou sua última lista 2016/2017 com as escolas em formato de lista com colocações e o futuro do exame deixa a pergunta no ar: Ainda teremos tal ranking na edição ENEM 2019?

RANKING DO ENEM?

O famigerado ranking do ENEM, vem sendo usado como sinônimo de qualidade por varias escolas ao redor do Brasil, ilustrando campanhas e material de matrícula, doutrinando as campanhas com essa máxima de “lista do INEP é qualidade na educação” . Termômetro para famílias desavisadas, que já perguntam a posição da escola na matricula do sexto ano do ensino fundamental II, mais do que conhecer a escola, sua proposta, e ouvir outras famílias, essa procura pela “lista vs colocação” é a primeira pergunta feita por alguns pais na visita aos espaços.

NÃO EXISTE ESCOLA PERFEITA!

Isso mesmo, não existe escola perfeita. A qualidade da escola é medida por vários fatores, e não existe baliza para medir essa qualidade, os pais determinam essa qualidade através da satisfação com a evolução dos alunos e seu relacionamento com professores, colegas e serviços em toda a vivência escolar dos seus filhos nos espaços de aprendizagem, não apenas na terceira série do ensino médio.

A ESCOLA E A VIDA

O aluno passa mais de 12 anos em uma escola, é muita pretensão achar que no último ano vou ter a medição da qualidade do ensino apenas pela nota do ENEM, muitos são os fatores determinantes dessa qualidade: as primeiras letras, as notas acima da média, a recuperação de um 3,0 que se transformou em um 8,0, a apresentação teatral, os amores, os dissabores, os amigos, a proficiência em um segundo idioma, ou seja, um todo que formou um cidadão ético, comprometido com a verdade e o meio social. A formação humana, valores, didática junto com a inteligência sócio emocional não são medidos pelos exames padronizados, e devem ser levados em consideração na hora de medir uma boa escola.

Isso sim são vitórias, maiores do que um recorte em uma vivência de 11 meses (levando em consideração o ENEM em novembro).

ESCOLAS COM DUAS INSCRIÇÕES NA MESMA LISTA?

Prática que tornou-se comum para burlar a lista, são as escolas que adotam uma estratégia de inscrever x alunos em um CGC e Y alunos em outro. Como isso acontece? É comum fazer simulados e  “ranquear” internamente os alunos em provas, as escolas pegam seus 10 ou 15 melhores alunos, e dependendo das notas, é claro fazem suas inscrições no CGC 1 (os melhores) e no CGC 2 cadastram o resto da escola.

Quando o ranking é divulgado, você visualiza duas escolas, uma com 15 alunos e a outra com 50, geralmente a primeira em uma colocação bem melhor do que a segunda.

Infelizmente não existe uma regulação dessa estratégia, e isso é mais comum do que você imagina, sem falar na exclusão praticada por uma instituição de ensino que deveria proporcionar uma igualdade entre seus alunos, usando da ética e da verdade em suas aulas e seus contextos internos.

AINDA VAMOS TER ESSA LISTA EM 2019?

O curioso sobre a divulgação da lista, é que, o INEP afirmou o fim dela nas mudanças do ENEM em 2017, mesmo assim, liberou os micro dados naquele ano para consulta pública deixando o texto obscuro, vamos continuar recebendo esses dados? polêmico não?

Com a mudança do governo, e a possível saída de Maria Inês da coordenação do exame, alguns pontos podem mudar, e esse futuro é incerto.

CONCLUSÃO

A divulgação da lista gera muito contexto para as escolas, inclusive financeiro, e muita briga também. A sugestão que dou ao MEC/INEP é de que cada escola tenha acesso a um espelho de correção das notas por área INDIVIDUALMENTE, e não por colocações divulgadas como uma corrida de formula 1, essa não é a proposta do ENEM.

Esse espelho é interessante para a escola usar como retomada, analise de dados, e tomada de decisões para o ano seguinte, e não como moeda de troca com as famílias, fica a dica!

Quer saber mais sobre o ENEM? clique aqui

Autor Alexandre Emerson Melo de Araújo

Anúncios